Minha mãe sempre foi uma "batalhadora". Uma mulher que sempre lutou para nos ofertar o melhor de si.
Casou-se com o meu pai ainda bem  menina, aos 16 anos de idade. Linda...linda... Uma princesa ! Parecia com a Júlia Roberts. Entretanto,  nada sabia da maldade desta vida, muito menos das dificuldades e entraves que enfrentaria. Aos poucos foi aprendendo com a própria existência. 

Sempre de tudo fez para nos defender.
Honesta, dedicada ao lar, aos filhos, ao meu pai, seu marido por 33 anos.  Viveu durante estes 33 anos (ou seja até os seus 49 anos de idade) alimentando um sonho no recôndido de sua alma: SER ALGUÉM ALÉM DE UMA MÃE DE FAMÍLIA E DONA DE CASA...VENCER NA VIDA...Trabalhar fora... Quem sabe, estudar? Coisa que meu pai, por entender desnecessário, como chefe da família, não a permitiu fazer.
Só conseguiu minha mãe a REALIZAÇÃO COMO MULHER, após divorciar-se de meu pai e ao se tornar uma empresária, de uma pequena confecção, que na realidade não lhe dá grandes ganhos financeiros, mas lhe dá uma enorme satisfação pessoal, a faz sentir-se GENTE!

Menina casou... por 33 anos alimentou este sonho interior... e só se sentiu SER HUMANO COMPLETO quando este desejo realizou.
"Meno male"...ainda bem que o realizou, mas não perdeu as suas características de" mãezona" não. Aliás, com franqueza eu digo que hoje, aos 52 anos, eu sou mais amiga da minha mãe, do que era na minha infância ou adolescência. Entretanto, mãezinha querida, quero que saiba:

Ah minha mãe ! Se a senhora soubesse como sempre FOI MUITO ALGUÉM ! MUITO GENTE! 
Se a senhora pudesse imaginar QUE VENCEU MUITO NA VIDA, SIM SENHORA!
Que o simples fato de NOS PREPARAR PARA SERMOS SERES HUMANOS FORTES E CAPAZES DE ENFRENTARMOS REVEZES (e quantos revezes esses seus 3 filhos enfrentaram, não é mesmo?) desta vida, faz da senhora um INCOMENSURÁVEL SER HUMANO!
Que a educação que nos deu, o carinho que nos dispensou, que os zelos que nos dedicou, que as noites de sono que sacrificou, TUDO PARA EXERCER O SEU PAPEL DE MÃE JÁ A FAZ UM SER HUMANO MAIOR, capaz de com as próprias mãos catar as estrelas do céu e tocar o solo lunar.

A_Ninh@ Lopes de Sá
Julho de 2003

 
 
 

Música Incidental: "Acalanto" - Midi do site: Beatriz Website: http://200.221.68.208:10002/mpb/J.html