Se acaso me quiseres,
Sou dessas mulheres
Que só dizem sim.
Por uma coisa à toa,
Uma noitada boa,
Um cinema, um botequim.

E, se tiveres renda,
Aceito uma prenda,
Qualquer coisa assim,
Como uma pedra falsa,
Um sonho de valsa
Ou um corte de cetim.

E eu te farei as vontades,
Direi meias verdades
Sempre à meia luz,
E te farei, vaidoso, supor
Que é o maior e que me possuis.

Mas na manhã seguinte
Não conta até vinte,
Te afasta de mim,
Pois já não vales nada,
És página virada
Descartada do meu folhetim.


Letra da música e midi do site MÚSICAS MAQ

Web design, edição e formatação por Ninh@ Lopes de Sá. É expressamente proibida a divulgação desta página sem a menção expressa da autora ou dos detentores de copyright do texto, da formatação e dos demais elementos que compõem a página, nos precisos termos da pela Lei 9.610 de 19/02/1998, Lei dos Direitos do Autor.