Se eu quiser falar com Deus
Tenho que ficar a sós,
Tenho que apagar a luz,
Tenho que calar a voz,
Tenho que encontrar a paz,
Tenho que folgar os nós
Dos sapatos, da gravata,
Dos desejos, dos receios,
Tenho que esquecer a data,
Tenho que perder a conta,
Tenho que ter mãos vazias,
Ter a alma e o corpo nus.

Se eu quiser falar com Deus
Tenho que aceitar a dor,
Tenho que comer o pão
Que o diabo amassou.
Tenho que virar um cão,
Tenho que lamber o chão
Dos palácios, dos castelos
Suntuosos do meu sonho,
Tenho que me ver tristonho,
Tenho que me achar medonho
E apesar de um mal tamanho
Alegrar meu coração.

Se eu quiser falar com Deus
Tenho que me aventurar,
Tenho que subir aos céus
Sem cordas pra segurar,
Tenho que dizer adeus,
Dar as costas, caminhar
Decidido, pela estrada
Que ao findar vai dar em nada,
Nada, nada, nada, nada,
Nada, nada, nada, nada,
Nada, nada, nada, nada
Do que eu pensava encontrar.

Web design, edição e formatação por Ninh@ Lopes de Sá. É expressamente proibida a divulgação desta página sem a menção expressa da autora ou dos detentores de copyright do texto, da formatação e dos demais elementos que compõem a página, nos precisos termos da pela Lei 9.610 de 19/02/1998, Lei dos Direitos do Autor.