Já conheço os passos dessa estrada,
Sei que não vai dar em nada,
Seus segredos sei de cor.
Já conheço as pedras do caminho
E sei também que ali sozinho
Eu vou ficar tanto pior,
O que é que eu posso contra o encanto
Desse amor que eu nego tanto, evito tanto
E que no entanto volta sempre a enfeitiçar
Com seus mesmos tristes velhos fatos
Que num álbum de retrato eu teimo em colecionar.

Lá vou eu de novo como um tolo,
Procurar o desconsolo
Que cansei de conhecer.
Novos dias tristes, noites claras,
Versos, cartas,
Minha cara, ainda volto a lhe escrever
Pra lhe dizer que isso é pecado,
Eu trago o peito tão marcado
De lembranças do passado
E você sabe a razão.
Vou colecionar mais um soneto,
Outro retrato em branco e preto
A maltratar meu coração.
 
 

<**_,.-:*'``'*:-.,_,.-:*'``'*:-.,_,.-:*'``'*:-.,*Arte, edição, formatação*·Copyright© 2002/2006 Ninh@®® Lopes de Sá *Todos os direitos reservados*,.-:*'``'*:-.,_,.-:*'``'*:-.,_,.-:*'``'*:-.,_Obrigada por respeitar,.-:*'``'*:-.,_,.-:*'``'*:-.,_,.-:*'``'*:-.,_**