Hoje estou farta do vazio, 
Da busca de lembranças tuas, 
Da inquietude dos meus dedos, 
Que te acenam toques e carícias. 
Meus braços que tanto te querem 
Nunca souberam dos teus abraços. 
Há sempre um ardor nos lábios 
Por desconhecerem teus beijos. 
Sequer deste-me a sentir 
O murmúrio do teu gosto, do teu cheiro. 

Hoje estou farta do vazio, 
Do acalentar apenas saudades, 
Da doçura suave dos teus olhares, 
Apenas flashes de fotografias, 
Em imagens distantes e difusas 
A espreitarem o desejo que flameja 
No silêncio das minhas mãos. 
Já tropeça no abismo do tempo 
A música dos arrepios e gemidos 
Desnudados pelas tuas palavras. 

Hoje estou farta do vazio 
Da ausência de marcas palpáveis. 
Tenho digitais tuas na minha alma 
Mas o que fazer do açoite da pele 
Que me pede por ti, roubando-me a calma? 
Meus passos anseiam pelos teus 
A trilharem caminhos em uníssono. 
Na desordem da minha fantasia, 
Meu corpo brinca, enlaçando-te, 
Roçando descobertas e prazeres 

Adiaste o encontro dos nossos olhos 
Rasuraste todas as leis do universo 
Que te escrevem em meu destino. 
Contrariaste todas as previsões 
Que te designam para meu coração. 
Calaste todas as promessas e juras 
Pronunciadas pelos lábios do amor 
Emudeceste todos os acordes 
Que te sabem nota em meu corpo musical 

Ainda assim, inexplicavelmente 
Eu continuo a te amar...

  Música Incidental: "Bem Que se Quis" - Marisa Monte - Desconheço o autor da digitalização desta música, se você souber por favor mande-me um E-mail, para que os créditos devidos lhe sejam atribuídos.