Meus filhos, vocês não lembram de quando nasceram...
e nem do meu sorriso quando eu os recebia em meus braços!
Não lembram também das lágrimas de amor 
que escorriam dos meus olhos, molhando seus rostinhos
que eu secava com carinho!

Debruçada sobre o berço, conversava com seus anjos, 
pedia que lhes guardassem noite e dia... 
e lhes fizessem ter lindos sonhos!

Sempre os amei com loucura, mas quando nas suas travessuras
os castigava, chegava a entristecer!
Se eu pudesse voltar ao tempo tudo seria mudado! 

Ao olharem para seus filhos vejam-se neles! 
Tentem entender seus sonhos!
Sejam pais de ouro! 
Façam por eles o que talvez eu não tenha feito por vocês! 

Sintam em mim sua melhor amiga,
amiga para todas as horas, para toda vida!
Dividam comigo os problemas que carregam. 

Não tenham segredos para mim, isso machuca meu coração!
Não me poupem de tristezas, elas são sempre passageiras... 
e do jeito que vêm também vão!

Conheço cada um de vocês por dentro, 
filhos são transparentes para a mãe!
Por isso acredito em vocês... 
e sei que terão seu lugar ao sol!

Há uma lei cósmica trabalhando para isso
Temos que estar atentos e ligados à sua sintonia,
para sentir sua chegada! 

Quando isso acontecer e vocês tiverem certeza 
que ela vem ao encontro de seus sonhos... 
abracem-na com firmeza... não deixem escapar seus sonhos!
Lutem por eles com garra, disciplina e perseverança!
Somente essas virtudes lhes levarão a seus potes de ouro!

Mesmo que esse sonho chegue em forma de trabalho maçante,
acreditem e ponham nele todo seu amor. 
O amor transforma tudo, mesmo um trabalho maçante
pode tornar-se interessante!

Procurem ver a vida com as lentes do amor!
Não a atropelem, vivam um dia de cada vez!
Façam da vida um caminho suave,
tirem dele as pedras que os atrapalham e sigam até o fim! 

Não pensem no dia de ontem, nem no de amanhã! 
Não pensem também no dia de hoje como um todo!
Lembrem que ele é feito de momentos!
Tornem cada momento um motivo de alegria!
Sejam calmos, amáveis, pacientes! 
Verão que a vida lhes sorrirá com uma nova cor!

Vou contar a vocês o segredo da minha alegria interior: 
Essa alegria ninguém nos tira porque ela vai crescendo,
enraizando-se... nos envolvendo tanto... e de repente 
torna-se parte de nosso ser!

Amem-se!
Ninguém pode amar ninguém se não se amar primeiro!
Sintam-se um ser único e perfeito!
Deixem-se tomar por um êxtase profundo!
Vão perceber a felicidade, a paz e a alegria,
fluir naturalmente dentro de vocês!

Sentirão a profundidade do momento e verão 
a beleza natural das coisas mais simples da vida acontecer!
Nunca procurem essa magia fora de vocês!
Essas dádivas estão fechadas à sete chaves dentro de nós... 
e cada um é dono das suas chaves para usá-las como quiser! 

Aprendam a segurar os momentos perfeitos da vida! 
Retenham-nos na memória, só eles, mais tarde, 
valerão à pena serem lembrados, 
não com saudade, mas com muito amor!

Usem a imaginação, olhem tudo a sua volta,
vão ver quantas surpresas terão!
Descobrirão que até um vaso colado pode ter sua beleza!
Vão lembrar que sempre o tiveram a seu lado...
e nunca o haviam notado!

Não usem os olhos só para ver, mas sentir e ouvir! 
A beleza é uma trama tecida por imagens, sentimentos e sons!
Vamos brincar de lembrar, de ver, sentir e de ouvir de novo?
Vamos sair para ver a vida? 
O espetáculo que nunca nos é cobrado está lá fora a nossa disposição!

Olhem a manhã nascendo, rompendo a madrugada!
Olhem o sol surgindo atrás das sombras,
apontando seus raios, para aquecer a terra!

No final das tardes, não deixem de admirar o pôr-do-sol
emitindo os últimos raios alaranjados, aos poucos declinando,
esmorecendo, despedindo-se sonolento até perder-se no horizonte!

Olhem a suavidade da noite descendo, emprestando-nos a lua 
e as estrelas, para enfeitar o firmamento!
Olhem as nuvens negras escurecendo o céu!
Delas vêm a chuva molhar a terra e toda vegetação!
Sintam o cheiro da terra molhada, cheiro do nosso chão!

Sintam a leveza da brisa brincando de soprar seus rostos...
e de assanhar seus cabelos!
Olhem as flores do campo que abrem com o calor do sol,
dançam ao sabor do vento, 
adormecem com o frio da noite e do sereno!

Ouçam a arrebentação das ondas nos rochedos 
e seu deslizar ligeiro às areias brancas da praia!
Sintam a canção do mar prestem atenção em seu canto!
Olhem o bando de gaivotas em algazarra brincando, sobrevoando o mar!

Quando desse bando uma só gaivota se dispersar...
alçar vôo cruzando o mar até desaparecer no horizonte,
saibam que foi sua mãe que partiu em busca da liberdade...
e de seus sonhos! 

Depois disso... se algum dia voltarem a qualquer praia... 
e virem uma gaivota solitária vindo da linha do horizonte... 
lembrem-se de mim e tenham certeza que é sua mãe
de saudade voltando!!!

  Música Incidental: "Sonho de Amor" Lizt - Desconheço o autor da digitalização desta música, se você souber por favor mande-me um E-mail, para que os créditos devidos lhe sejam atribuídos.