Lô Borges: "O Clube da Esquina virou um mito. Esse nome extrapolou, virou uma idéia além do que ele era realmente. A sua origem é banal: era a esquina da casa da minha mãe, onde eu ficava tocando violão com pessoas que não necessariamente eram músicos, eram pessoas do bairro. Eu era garoto e ficava ali tocando violão. O Milton (Nascimento), muito amigo da minha família há anos, sempre que voltava para Belo Horizonte, ia para Santa Teresa, perguntava para minha mãe: "onde está o Lô", e ela dizia: "ele está na esquina, lá no Clube da Esquina". Era um lugar de onde eu não saía. Destruía bunda e minhas calças nesse lugar. Aprendi a tocar violão nessa esquina.

Um dia o Milton foi até lá e eu estava tocando violão. Convidei-o para sentar e comecei a mostrar um canção que eu estava compondo, ele sentou na calçada, terminamos a música. Depois o Márcio (Borges) fez a letra e resolvemos colocar o nome de Clube da Esquina.

A partir daí, comecei a fazer outras músicas e mostrar para ele, o Milton passou a gravá-las, ficou entusiasmado comigo e me convidou para fazer um disco chamado Clube da Esquina. Esse disco contou com a participação do pessoal de Belo Horizonte, do Beto (Guedes), do Toninho Horta e também das pessoas que moravam no Rio de Janeiro, músicos pernambucanos, baianos, cariocas... Com isso, o disco passou a ter uma projeção além da idéia original, aliás, não existe nem a idéia original. O nome "Clube da Esquina" é esse, mas depois ficou um nome para se referir aos músicos mineiros dos anos setenta, o "pessoal do Clube da Esquina". "

MILTON NASCIMENTO

Milton Nascimento nasceu no Rio de Janeiro, e foi adotado por uma família de Três Pontas-MG, onde passou sua infância. Crescido, foi tentar a vida em Belo Horizonte e trabalhou muito tempo como escrituário. Em BH, Bituca foi "adotado" pela família Borges e nasceu ai o Clube da Esquina. O cruzamento da rua Divinópolis com a rua Paraisópolis ficaria famoso dali em diante. Milton apareceu para o todo Brasil no FIC - Festival Internacional da Canção, com a música Travessia. Depois de lançar 3 discos Milton passou uma temporada nos EUA onde fez amigos e admiradores ilustres. De volta ao Brasil, Bituca, Lô Borges e todo a turma do Clube lançaram o disco Clube da Esquina - 1972, que não teve sucesso imediato. Para divulgar esse trabalho, eles só conseguiram um teatro de pequeno porte do subúrbio do Rio. O principal teatro da Cidade estava ocupado com americanos de grande sucesso. Esses americanos procuram saber de Milton, e a critica brasileira disse que ele havia "morrido" artisticamente, que foi um cantor de uma música só (travessia). Os americanos ficaram espantados e inconformados. Descobriram o pequeno Teatro que Milton estava, e adiantaram seu show em algumas horas, para que todos os dias pudessem correr até o subúrbio e ver o já ídolo Milton. Depois de um tempo a critica brasileira viu que tinha feito besteira, e deu a esse álbum grande importância. De lá pra cá, Milton é considerado a "voz do Brasil" e é o integrante do Clube da Esquina de maior destaque.

LÔ BORGES

O garoto Lô Borges cresceu junto de grandes nomes da música. E ainda criança, conquistou Milton Nascimento. Bituca já havia notado que Lô levava muito jeito pra coisa, mas ainda era muito novo. Um dia Lô chamou Bituca até o bar que o pessoal do clube da esquina costumava freqüentar. Pediu 2 vodkas, e deixou Milton de queixo caído. Depois de mostrar pra Bituca que não era mais criança, Lô chamou Milton de volta pra casa dos Borges e mostrou a canção que acabara de fazer. Lô com apenas 15 anos, estava no time, e jogando como titular. O disco "Clube da Esquina", ficou dividido, Milton Nascimento / Lô Borges. E Lô cantava com voz de menino, grandes clássicos da música brasileira, "O Trem Azul", "Um Girassol da Cor do Seu Cabelo", "Paisagem da Janela", etc.  Com  o amigo Toninho Horta, Lô aprendeu harmonia, ou melhor, mágica! Com sua Gibson 335 e seu chorus, Lô é , pra mim, um dos maiores compositores do mundo. 
  

BETO GUEDES

O mineiro de Montes Claros Beto Guedes é o que mais se destacou comercialmente, além de Milton Nacimento e Flávio Venturini, da família do antológico Clube Da Esquina. Filho do compositor Godofredo Guedes, herdou do pai a tradição da música mineira. Somando isso a forte influência dos Beatles, Beto se tornou um dos maiores compositores e instrumentistas do Brasil. 

FLÁVIO VENTURINI

Flávio Venturini apareceu pela primeira vez com a banda O Terço, ao lado do guitarrista Sérgio Hinds. Nessa época, Flávio já estava fazendo clássicos eternos da MPB como "Criaturas da Noite" e "1974". Depois formou com o irmão Cláudio, Vermelho, Magrão e Hely Rodrigues o grupo 14 BIS. A banda explodiu logo no primeiro disco com a música "Canção da América", até então ainda inédita no Brasil. E  nunca mais saiu de cena. "Linda Juventude", "Todo Azul do Mar", "Caçador de Mim" e "Planeta Sonho" são alguns dos grandes clássicos da banda. Hoje, sem Flávio e com Cláudio no vocal principal, a banda continua firme e forte. Em carreira solo, Flávio não é rock como no 14 BIS nem Progressivo como no Terço. Seu primeiro disco, Nascente, já mostrava o que vinha pela frente. No repertório solo estão grandes canções como "Nascente", "Princesa", "Besa-me", "Espanhola", "Fantasia", "Noites Com Sol" e "Lindo". Nos últimos discos vem trabalhando com o guitarrista e arranjador argentino Torcuato Mariano. 

Clube da Esquina II

(Milton Nascimento, Lô Borges e Márcio Borges)

Por que se chamava moço também se chamava estrada

Viagem de ventania

Nem se lembra se olhou pra trás 

Ao primeiro passo, aço, aço...

Por que se chamava homem também se chamavam sonhos

E sonhos não envelhecem

Em meio a tantos gases lacrimogênios

Ficam calmos, calmos

E lá se vai mais um dia

E basta contar compasso e basta contar consigo

Que a chama não tem pavio, de tudo se faz canção

E o coração na curva de um rio, rio...

E o Rio de asfalto e gente entorna pelas ladeiras

Entope o meio fio, esquina mais de um milhão

Quero ver então a gente, gente, gente ...
  

Fonte: Site Oficial do Clube da Esquina e Sites dos músicos
 
Música Incidental: "Clube da Esquina" - Flávio Venturini
  

Desconheço o autor da digitalização desta música, se você souber por favor mande-me um E-mail, para que os créditos devidos lhe sejam atribuídos.